• engenhoDudinha
  • rapadudinha
  • melaço

Quem somos

História


Localizado na cidade de Simão Dias, a cerca de 100 quilômetros de Aracaju (SE), o Engenho Dudinha nasceu com o objetivo de resgatar uma tradição familiar secular. O grande responsável e idealizador desse projeto é o empresário Paulo Batista, que sempre sonhou em reativar o engenho administrado pelo seu avô e, posteriormente, pelo seu pai.


João Batista, avô de Paulo, foi quem iniciou as atividades do engenho. Ele era descendente de portugueses e se mudou para a região de Simão Dias no século XIX, onde começou a plantar cana-de-açúcar e estabeleceu o engenho. A tradição continuou na família e o seu pai, José Batista, conhecido como Duda do Engenho, tocou o negócio com orgulho e dedicação, batizando o estabelecimento como “Engenho do Duda”. Em 1985, o engenho foi desativado. Três anos depois, seu pai faleceu.


Paulo Batista cresceu no engenho e trabalhou com seu pai, assim como todos os seus irmãos. Aos 23 anos, ele foi para São Paulo estudar e “tentar a vida” na cidade grande, onde se formou em Direito e seguiu carreira no Tribunal de Justiça de São Paulo por mais de 25 anos. Assim que se aposentou, o empresário não hesitou em retornar para sua cidade natal e realizar o grande sonho de dar vida ao empreendimento que sustentou toda a sua família por anos. E foi assim que, em 2005, nasce novamente o engenho, desta vez como Engenho Dudinha.

  

Até pouco tempo atrás, o engenho funcionava de forma artesanal, com características de produção semelhantes às dos engenhos do século XVI, com exceção à mão-de-obra, que nunca foi escrava. Desde sua primeira atividade, na época do avô de Paulo, os funcionários são parentes e amigos da região. Hoje, o Engenho Dudinha está em plena atividade e já é possível encontrar algumas “máquinas do mundo moderno” nas instalações da fábrica. O cenário externo ao engenho também é muito diferente. Agora, o barulho da cana sendo esmagada se mistura ao som das buzinas de automóveis que circulam nas ruas movimentadas da pequena Simão Dias.

 

Graças ao sonho de Paulo, o Engenho Dudinha está mantendo uma tradição nordestina secular.

Inovação

 

Além da tradicional produção de rapadura e melaço, Paulo resolveu trazer uma novidade para o mercado e criou a Rapadudinha, rapadura em pequenos quadrinhos de 11x11 milímetros. O produto é uma inovação no mercado de doce de rapadura, pois apresenta textura macia e é de fácil consumo.


A Rapadudinha é produzida em uma “máquina” inventada pelo empresário. A ideia surgiu da necessidade de reciclar a apresentação da rapadura para a sua reintrodução em um mercado cada vez mais exigente. Hoje, os cubinhos do doce são muito bem aceitos pelo consumidor e o engenho já distribui as rapadurinhas em diversos estados do Brasil.

Tradutor

English Spain

Pesquisar no site


© 2014 Engenho Dudinha - Todos os direitos reservados
Avenida José Neves da Costa, 81 - Centro - Simão Dias ● CEP (zip code): 49.480-000 - Sergipe ● E-mail: contato@engenhodudinha.com.br